Voltar

Segurança das crianças na praia e na piscina

Segurança das crianças na praia e na piscina

Saiba como evitar riscos e curtir as férias com mais tranquilidade

Segurança das crianças na praia e na piscina

29 Dezembro 2023

 

Férias, verão, calor. Essa combinação é perfeita para curtir os dias na água, seja na praia, na piscina, ou em rios. Mas, para relaxar e garantir diversão para a família toda, é importante reforçar os cuidados com os pequenos.

Neste artigo, exploramos algumas dicas práticas para evitar problemas como risco de afogamento, queimaduras solares, desidratação e até o risco de perder as crianças de vista. Assim, tanto os pequenos quanto os pais e responsáveis podem aproveitar a temporada sem preocupações.

 

 

Prevenção de afogamentos: na água, a regra é atenção total

 

Crianças, em geral, adoram aproveitar os dias quentes na água. Mas, para garantir maior segurança nesse momento de diversão, pais e responsáveis precisam investir em estratégias de prevenção nos ambientes que os pequenos mais frequentam.

 

Abaixo, listamos algumas dicas gerais, que servem para qualquer ambiente aquático. Em seguida, compartilhamos orientações específicas para piscinas, praias e rios.

 

Se tem água, tem que ter cuidado

 

Seja na piscina, na praia ou em rios, estes cuidados são fundamentais:

 

  • Supervisão constante: é sempre importante indicar um adulto responsável para supervisionar as crianças. Especialistas recomendam, ainda, manter as crianças a uma distância máxima de um braço, mesmo na presença de salva-vidas.

 

  • Educação sobre segurança na água: converse com os pequenos sobre os perigos aquáticos, a importância de seguir as regras de segurança, de usar equipamentos como colete salva- vidas (em vez de boias para piscina) e o que fazer em caso de afogamento.

 

  • Ensine os pequenos a nadar: incentive as crianças a aprender a nadar desde cedo, mas lembre-se de manter a supervisão.

 

  • Aprenda medidas de primeiros-socorros: esteja preparado para lidar com emergências, aprendendo técnicas de resgate e primeiros-socorros.

 

Fique atento a qualquer sinal de perigo ou desconforto das crianças na água e esteja pronto para agir imediatamente. Além disso, lembre-se do contato de emergência do Corpo de Bombeiros, o número é 193.

 

Segurança em piscinas, praias e rios

 

Além das orientações gerais, existem recomendações de segurança importantes para os diversos tipos de ambientes aquáticos. Nas piscinas, por exemplo, o maior índice de afogamento está entre crianças de 1 a 9 anos. A partir dos 10 anos, os afogamentos acontecem principalmente em águas naturais. Veja abaixo:

 

  • Piscinas - instale cercas ao redor da piscina, com portões trancados para impedir o acesso não supervisionado; garanta que a piscina tenha ralos com tampa anti-sucção de cabelos; em piscinas coletivas, tenha certeza de que há um guarda-vidas presente.

 

  • Praias - respeite a sinalização e nunca entre na água quando houver aviso de bandeira vermelha, com ou sem crianças; se observar um afogamento, jogue um material flutuante e busque ajuda de um profissional; ensine crianças e adolescentes a flutuar e acenar por ajuda, caso sejam pegos de surpresa por uma corrente.

 

  • Rios - não entre na água se tiver corredeiras; se não tiver corredeiras, só deixe os pequenos entrarem até a altura do joelho; use colete salva-vidas em embarcações; respeite as sinalizações; se observar um afogamento, jogue material flutuante para ajudar em vez de entrar na água para fazer o salvamento; ensine crianças e adolescentes a flutuar e acenar por socorro em caso de emergência.

 

 

As altas temperaturas demandam ainda outros cuidados

imagem de uma mulher adulta passando protetor solar numa criança

A exposição excessiva ao sol pode causar queimaduras na pele, insolação, envelhecimento precoce e até câncer de pele. Por isso, os cuidados com o corpo e a pele devem começar desde cedo. Confira algumas dicas essenciais:

 

Protetor solar - utilize protetor solar com fator mínimo de 30, que deve ser aplicado antes de sair de casa e reaplicado a cada 30 minutos; evite exposição ao sol entre 10h e 16h, quando a incidência de raios ultravioleta é maior.

 

Hidratação - no verão, é importante se manter hidratado por dentro e por fora, por isso, especialistas recomendam aplicar hidratante diariamente e aumentar a ingestão de líquidos como água, suco de fruta e água de coco.

 

Alimentação - reforce a ingestão de alimentos ricos em água, fibras e com baixa quantidade de carboidratos, como carnes grelhadas, alimentos crus e cozidos, frutas e legumes; inclua nas refeições alimentos que podem ajudar na prevenção de danos à pele, como cenoura, abóbora, maçã e beterraba.

 

Roupas - opte por roupas leves, de tecidos como algodão ou com proteção UV; troque as roupas de banho molhadas o quanto antes para evitar micoses e infecções; separe uma toalha para cada membro da família para se proteger de doenças como conjuntivite, comum nessa época do ano.

 

No verão, e em qualquer época do ano, o objetivo é criar um ambiente em que alegria e prazer andem lado a lado com segurança.

E adotar medidas de prevenção, como supervisão constante, uso de equipamentos de segurança e cuidados com a pele é a melhor forma de garantir que, todos os dias, tanto os pequenos quanto os adultos responsáveis aproveitem momentos cheios de diversão.

 

 

Fontes: Sociedade Brasileira de Dermatologia - Regional São Paulo, Sociedade Brasileira de Pediatria, Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático - SOBRASA


Agência SA 365 | Edição e Revisão: Unimed do Brasil

Revisão técnica: equipe médica da Unimed do Brasil


Média (636 Votos)
Avaliar:

COMPARTILHAR:


 

Uma publicação compartilhada por Unimed (@unimedbr) em