Voltar

Depressão infantil existe, mas pode ser vencida!

Depressão infantil existe, mas pode ser vencida!

Saiba identificar os sinais e o que fazer para ajudar a saúde emocional das crianças

Depressão infantil existe, mas pode ser vencida!

15 Março 2022

Depressão infantil é uma realidade para muitas crianças, especialmente agravada com a pandemia. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), o número de casos de depressão em crianças entre 6 e 12 anos aumentou de 4,5 para 8% em uma década.

 

Depressão Infantil  

Mas quais são os sintomas? Como ajudar a superá-los?

Este artigo traz dicas de como acolher as crianças e devolver a elas uma infância com saúde emocional.

 

 

Causas e sintomas da depressão infantil

Como tratar a depressão infantil?

Saúde emocional: Como prevenir a depressão infantil

 

 

Causas e sintomas da depressão infantil

 

É importante ressaltar que cada caso deve ser analisado individualmente, mas o histórico familiar de depressão e de outros transtornos mentais pode influenciar no desenvolvimento de um quadro depressivo na infância. O contexto social e familiar, se envolve violência ou abusos, bem como o tempo de exposição e o tipo de conteúdo a que a criança assiste nas telas, também devem ser averiguados com cuidado.

Desânimo ou tristeza que não passam são sintomas comuns de depressão em todas as idades. Mas, segundo a Associação Americana de Ansiedade e Depressão (ADAA), irritabilidade e/ou raiva persistentes são os sintomas que mais se destacam na depressão infantil.

Além desses, a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) aponta sinais de alerta como o sentimento de culpa ou baixa autoestima, distúrbios do sono, desinteresse pelas atividades habituais ou brincadeiras e dificuldade de concentração.

Sintomas da depressão infantil

Em crianças menores de 12 anos, os sintomas de depressão infantil podem incluir choro fácil, queixas somáticas como dor de barriga e nas pernas, ficar sem falar, movimentos involuntários, distúrbios do sono e irritabilidade ou acessos de raiva.

O que diferencia os sintomas de depressão infantil de “uma fase” ou de “característica da personalidade da criança” são, principalmente: a intensidade, a mudança de hábitos e a persistência do tempo.

Dessa forma, se os sintomas permanecerem por mais de duas semanas e causarem prejuízo funcional ou social à criança e à família é importante buscar ajuda profissional.

 

 

Como tratar a depressão infantil?

Criança em consulta com psicólogo

Quando há o diagnóstico de depressão infantil, o ideal é que criança e família façam um trabalho de psicoterapia. O pediatra pode fazer um encaminhamento para um profissional especializado.

O tratamento nessa faixa etária é importante para prevenir que os sintomas se estendam para a vida adulta. Afinal, segundo estudo da Universidade de São Paulo, 75% dos transtornos mentais dos adultos têm origem na infância.

Brincadeiras e atividades prazerosas, especialmente ao ar livre, costumam apresentar bons resultados de forma rápida. E os efeitos disso podem ser sentidos não só pelas crianças, mas pelos próprios adultos.

 

Técnicas de meditação e de atenção plena também têm impacto positivo, segundo a SBP. Além disso, “medicações ansiolíticas e antidepressivas podem ser usadas nos casos de depressão moderada a grave, quando prescritas por profissional que tenha experiência no manejo das classes de drogas que atuem no Sistema Nervoso Central”, explicam os especialistas da entidade.

 

 

Saúde emocional: como prevenir a depressão infantil

Crianças brincando de cabo de guerra

Não pense que infância feliz significa ter as vontades da criança atendidas o tempo todo. Medidas que estabeleçam uma rotina em casa ajudam a organizar a vida e as emoções também. Confira algumas:

  • rotina de sono, com horário e tempo satisfatórios por idade
  • tempo e conteúdo de tela pré-estabelecidos de acordo com as recomendações por idade
  • brincadeiras ao ar livre
  • tempo de qualidade com os pais
  • acompanhamento sobre o desempenho na escola
  • atividades físicas e de lazer
  • técnicas de relaxamento ou meditação

Além disso, ter um canal aberto para conversar sobre os fatos do dia e as emoções envolvidas é fundamental para a saúde emocional das crianças. Alguns livros infantis ajudam a entender melhor os próprios sentimentos. A leitura conjunta à noite também pode ajudar a abrir o diálogo.

 

Saber enfrentar os problemas e tristezas é um aprendizado para a vida toda, e a resiliência é parte disso. Quer saber mais sobre o assunto? Leia aqui: Resiliência na infância: como desenvolver brincando

 

Fontes: NHSSBP | OMS | USP


Agência Babushka | Edição e Revisão: Unimed do Brasil

Revisão técnica: equipe médica da Unimed do Brasil


Média (11 Votos)
Avaliar:

COMPARTILHAR:


 

Uma publicação compartilhada por Unimed (@unimedbr) em