Voltar

Nutrição da lactante

Nutrição da lactante

Com algumas exceções, a alimentação da mãe que amamenta não deve ser muito diferente à da mulher adulta normal

Nutrição da lactante

18 Dezembro 2010
Amamentar é um momento especial tanto para a mulher quanto para o bebê. Além de ser um ato de carinho, que fortalece o vínculo entre mãe e filho, o leite materno é a melhor maneira de alimentar recém-nascidos. Nessa fase, é comum que muitas mães fiquem cheias de dúvidas sobre como deve ser sua dieta alimentar para que não falte nenhum nutriente para o desenvolvimento da criança.
 
Em alguns casos em que há deficiências específicas e condições especiais apontadas por um diagnóstico médico, pode haver a necessidade de alteração dietética e de suplementação. No entanto, na maioria das vezes, a alimentação da lactante deve ser parecida à de uma mulher adulta normal, sem necessidade de excessos. É importante destacar que o contrário também não é recomendado, portanto, enquanto estiver amamentando nada de tentar perder peso.
 
A lactante precisa de nutrientes suficientes para seu próprio organismo e para a produção de leite, por isso ela deve aumentar em cerca de 500 calorias a quantidade total de calorias por dia. Quem já possui uma dieta balanceada pode conseguir os nutrientes extras necessários de maneira mais fácil.
 
 
1. Busque variar a alimentação;
 
2. Prefira alimentos não industrializados;
 
3. Procure comer devagar, mastigando e saboreando bem os alimentos;
 
4. Evite o excesso de sal, de açúcar e bebidas alcoólicas;
 
5. Faça várias refeições por dia, para evitar comer muito de uma só vez;
 
6. Certifique-se de que você ingere pelo menos 1.000mg de cálcio por dia. Mães adolescentes podem ter necessidade de 1.300mg do nutriente. O consumo dessa quantidade de cálcio diariamente deve ser feito por toda a vida, pois ajuda a diminuir o risco de osteoporose mais tarde;
 
7. Não há dados conclusivos em relação aos malefícios dos adoçantes artificiais na gravidez e lactação, mas recomenda-se não utilizá-los em larga escala.
 
Atenção!
 
- Qualquer mudança nos hábitos alimentares deve ser acompanhada pelo médico.
- Se o bebê tiver diarreia, apresentar erupções cutâneas ou intestino congestionado, procure o pediatra, pois isso pode ser sinal de alergia a alguma comida.

Texto: Taise Bertoldi / Ilustração: Carolina Moura

Fonte: Site The American Congress of Obstetricians and Gynecologists, the healthy children, Revista Médica de Minas Gerais (Volume 20, nº 30/Artigo de Revisão de Márcia Rocha Parizzi e João Gabriel Marques Fonseca).

Conteúdo aprovado pelo responsável técnico-científico do Portal Unimed.


Média (0 Votos)
Avaliar:

COMPARTILHAR:


Cadastre-se para receber novidades e notícias

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso.

 

Uma publicação compartilhada por Unimed (@unimedbr) em