Voltar

Como conversar com os adolescentes

Como conversar com os adolescentes

Saiba como ajudar seu filho a se tornar um adulto capaz de lidar com os desafios da vida

Como conversar com os adolescentes

2 Abril 2024

 

Segundo a Organização Pan-Americana da Saúde, metade de todas as condições de saúde mental começa por volta dos 14 anos de idade – e a maioria delas nem é diagnosticada ou tratada.

 

As consequências podem impactar até mesmo a fase adulta, prejudicando a saúde, as relações e limitando futuras oportunidades.

 

Por isso, falar sobre saúde mental com adolescentes é bem importante.

 

Em uma fase cheia de transformações, inseguranças e dúvidas, desenvolver a capacidade de comunicar o que precisa e lidar com frustrações é fundamental para uma vida mais plena e saudável.

 

 

Então, vamos juntos entender como conversar com seus filhos adolescentes sobre saúde mental?

 

 

Criando um ambiente seguro e acolhedor

imagem de uma mãe e sua filha sorrindo

Se você é o tipo que acredita que adolescente não precisa se preocupar com nada, é hora de exercitar um pouco de empatia. Não é fácil deixar de ser criança e, ao mesmo tempo, não ter autonomia suficiente para ser adulto.

 

Nesse momento, o papel de pais e responsáveis é ser apoio e guia, sem julgar ou minimizar seus sentimentos.

 

Confira algumas formas de fortalecer a confiança, deixando o adolescente mais confortável para conversar com você:

 

  • Saber ouvir com atenção, demonstrando interesse real, é o primeiro passo para estabelecer uma conexão;
     
  • Mostrar-se disponível para conversar, mas não forçar o adolescente a falar;
     
  • Evitar julgamentos, tendo em mente que cada pessoa é diferente, mesmo que a pessoa em questão seja seu filho;
     
  • Respeitar os limites do adolescente, buscando encontrar soluções juntos em vez de dar conselhos não solicitados;
     
  • Desmistificar qualquer preconceito sobre buscar ajuda profissional, afinal, cuidar da saúde mental é tão importante quanto cuidar da saúde física.

 

 

Iniciando a conversa

 

Se você tem um adolescente em casa, sabe que criar uma conexão pode ser um desafio que requer paciência e diálogo. Mas como fazer isso? Abaixo, listamos algumas recomendações:

 

  • Vá direto ao ponto, de maneira natural, evitando rodeios sobre o que você quer conversar;
     
  • Faça perguntas abertas, deixando o adolescente responder. Se for o caso, comente antes que percebeu que ele não está bem, por isso, gostaria de entender o porquê;
     
  • Pergunte como pode ajudar em vez de impor a sua opinião, mostrando que o adolescente é importante para você e respeitado como pessoa;
     
  • Mantenha sempre a calma e o respeito, evitando uma comunicação agressiva.

 

Temas importantes a serem abordados

Imagem de um pai e um filho sorrindo

 

Saúde mental não é só sobre doença, viu? Tem a ver com bem-estar, com aprender a passar por momentos difíceis e seguir em frente, com autocuidado, com ajudar o adolescente a desenvolver as ferramentas necessárias para levar uma vida plena.

 

Algumas questões típicas da adolescência são importantes, sim. Temas como ansiedade, depressão, bullying, transtornos alimentares, sexualidade, álcool e drogas precisam ser debatidos em algum momento.

 

 

Mas converse também sobre o positivo, aquilo que fazemos para nos sentir bem e conseguir enfrentar os desafios do dia a dia:

 

  • Como têm sido os momentos em atividades que fazem bem, como dançar, praticar esportes?
     
  • Como vão as amizades? Os passeios com os amigos têm sido divertidos?
     
  • O que o adolescente aprendeu com livros, filmes e séries recentemente? Faça perguntas para ouvir o que eles têm a dizer, peça indicações.
     
  • Já pensou em se dedicar a alguma atividade artística, como desenhar, pintar ou tocar um instrumento?
     

 

A comunicação aberta, honesta e sem tabus é essencial para aproximar pessoas e fortalecer vínculos, inclusive entre pais e filhos. Se você chegou até aqui, sabemos que esse é um tema importante para você, então, por que não continuar a leitura sobre isso?

 

Aprender a lidar com seu filho adolescente vai fazer bem para todos.

 

Se perceber que está difícil demais conversar com seu filho adolescente, não tenha vergonha de buscar ajuda, para você e para ele. Converse com um profissional.

 

 

Fontes: OPAS, Unicef.


Agência SA 365 | Edição e Revisão: Unimed do Brasil

Revisão técnica: equipe médica da Unimed do Brasil


Média (1078 Votos)
Avaliar:

COMPARTILHAR:


 

Uma publicação compartilhada por Unimed (@unimedbr) em