Voltar

As fases do sono

As fases do sono

Você sabia que o sono é caracterizado por dois estados distintos? Entenda o que acontece com o nosso organismo enquanto dormimos

As fases do sono

15 Fevereiro 2019

Dormir bem é uma das recomendações para quem quer ter uma vida saudável, isso porque o sono é capaz não apenas de restabelecer o corpo e a mente após um período intenso de atividades, mas também contribui para a melhora do metabolismo, para manter o peso sob controle, para o fortalecimento do sistema imunológico, para prevenir doenças e ainda para que haja a regulação emocional e a sensação de bem-estar.

O sono é uma necessidade básica do nosso organismo, assim como beber água ou se alimentar. E para contar com todos os benefícios atrelados a ele, as pessoas devem estar atentas à quantidade e também à qualidade do sono. Além disso, especialistas recomendam que é fundamental manter uma rotina relacionada ao sono, ou seja, estabelecer horários regulares para dormir e acordar, mesmo aos finais de semana.

Nesse período de inatividade, deitado sobre o colchão, ocorre um processo que envolve complexos mecanismos fisiológicos em diferentes regiões do sistema nervoso central. Enquanto achamos que apenas descansamos, muitas atividades acontecem em nosso organismo.

Os estágios do sono

O sono humano é constituído por duas fases distintas: o chamado sono não-REM, que é mais lento, e o sono REM, que tem atividade cerebral mais rápida e é quando acontecem movimentos rápidos dos olhos (do inglês: Rapid Eye Movements, ou REM).

A noite de descanso começa com o sono não-REM, composto por três estágios diferentes:

N1 - transição da vigília para o sono mais profundo, porém, ainda um sono leve

N2 - desconexão total do cérebro com os estímulos do mundo real

N3 - sono profundo, com descanso da atividade cerebral

Eis, então, que chega a vez do sono REM. Nessa fase, há intensa atividade cerebral e movimentos oculares rápidos. É quando acontecem os sonhos e também a consolidação da memória.

Em uma noite completa de sono, um adulto apresenta de quatro a seis ciclos, contendo tanto estágios do sono não-REM como o sono REM. Cada ciclo pode durar uma média de 90 minutos. Evitar ficar acordando várias vezes é importante para que todo o processo ocorra e a pessoa levante restabelecida para começar um novo dia.

O período ideal do sono

De acordo com o National Sleep Foundation, dos Estados Unidos, a cada faixa etária existe uma quantidade de horas necessárias de sono por dia. Com o passar dos anos, diminui o tempo ideal na cama para descansar e repor as energias para o dia seguinte. Veja:

- Recém-nascido (até 3 meses): de 14 a 17 horas

- Bebê lactente (de 4 a 11 meses): de 12 a 15 horas

- Primeira infância (de 1 a 2 anos): de 11 a 14 horas

- Pré-escolar (de 3 a 5 anos): de 10 a 13 horas

- Fase escolar (de 6 a 13 anos): de 9 a 11 horas

- Adolescente (de 14 a 17 anos): de 8 a 10 horas

- Jovem e adulto (de 18 a 64 anos): de 7 a 9 horas

- Idoso (a partir de 65 anos): de 7 a 8 horas

 

Leia também:

Higiene do sono

Entenda o bruxismo

Como dormir melhor


Texto: Karina Fusco | Edição: Thaís Guimarães de Lima | Design: Alex Mendes

Fonte: Instituto do Sono, Organização Mundial da Saúde, Associação Brasileira do Sono, Associação Brasileira de Medicina do Sono, Hospital Sírio Libanês, Fundação Oswado Cruz (Fiocruz) e Endocrine Society

Conteúdo aprovado pelo responsável técnico-científico do Portal Unimed.


Média (4 Votos)

COMPARTILHAR:


Cadastre-se para receber novidades e notícias

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso.

 

Uma publicação compartilhada por Unimed (@unimedbr) em