Voltar

Criança na cozinha com segurança e alegria

Criança na cozinha com segurança e alegria

Cozinhar com as crianças estimula autonomia e interesse pelos alimentos. Veja algumas dicas por faixa etária

Criança na cozinha com segurança e alegria

19 Julho 2022

Não sabe o que fazer com as crianças em casa?
Uma ótima opção para os fins de semana ou para as férias de julho é levar a meninada para a cozinha!

 

Cozinhar com as crianças é uma forma de passar momentos de qualidade juntos e, ao mesmo tempo, estimular a autonomia e o interesse pelos alimentos – acabando com aquele “isso eu não gosto, isso eu não quero”, mesmo sem experimentar.

Confira alguns cuidados e dicas de acordo com a faixa etária para deixar essa experiência de culinária infantil mais prazerosa (e segura) para todos.

Ah, e prepare-se para alguma lambança - faz parte do aprendizado!

 

Crianças de até 3 anos na cozinha: observadores

Bebê observando mãe cozinhando

Nessa idade, a coordenação motora das crianças ainda não é suficiente para grandes ajudas na cozinha. Mas elas podem ajudar a decorar um bolo ou até modelar pãezinhos, por exemplo.

Além disso, ficar com os adultos (e nunca sozinha!) na cozinha enquanto o alimento é preparado serve como um bom exercício de observação.

Você pode deixar a criança sentada na cadeira de alimentação, no carrinho ou no cercadinho e ir mostrando o que você está fazendo, envolvendo-a sempre que possível.

“Vou cortar o alho para dar um gostinho bom” “preciso ter muito cuidado, porque a faca pode machucar meu dedo”, “ai, tá quente”, “hum, sente só o cheirinho desse manjericão”, “quer um pedacinho da cenoura?”.

Isso tudo ajuda a criança a se familiarizar com o assunto, nomear os alimentos, entender o tempo de preparo deles e até mesmo conhecer os perigos presentes na cozinha.

Para essa turminha que já apresenta paladar aguçado, confira uma receita apetitosa para o lanche da tarde:
Muffin de banana com pasta de amendoim

 

Categoria miniajudante na cozinha: 4 a 6 anos

Conforme as crianças crescem, o interesse em participar aumenta! Elas já possuem mais destreza e conseguem misturar os ingredientes, lavar as frutas e verduras, pegar os ingredientes no armário ou na geladeira. Mas ainda precisam da sua supervisão constante!

Nessa idade, ainda é importante mantê-las longe do fogão e das facas. Você pode deixá-las apertar o botão do liquidificador ou da batedeira, mas esteja sempre junto para evitar acidentes.

Criança ajudando a mãe a decorar cupcakes

Bolos e cookies costumam ser as receitas favoritas. Afinal, parece até mágica ver uma mistura de ingredientes se transformar em algo totalmente diferente – e tão gostoso! Mas vale também envolver as crianças com comidas saudáveis, convidando-as para decorar um prato de salada, entregando os ingredientes já cortados para elas misturarem ou distribuírem na travessa.

 

Valorize os pratos coloridos! Chame a criançada e experimente essa  Salada com grão-de-bico crocante  ou esse  Tabule de quinoa .

 

Chefs mirins: a partir de 6 anos

A curiosidade está a mil, a capacidade de foco está bem mais avançada, eles estão começando a ler, a fazer contas… e a cozinha é um ótimo lugar para colocar tudo isso em prática. Peça ajuda para ler a receita, para calcular ingredientes e, claro, para o preparo!

Um bom exercício de matemática é analisar a equivalência de medidas. Por exemplo: quantas colheres de farinha completam uma xícara? Ou quantos copos de água completam um litro?

menina cozinhando com a avó

Para os lanchinhos da tarde, uma sugestão é fazer um bolo de caneca, ou aproveitar sobras de bolo montando um cake-pop (pirulito de bolo).

E ainda dá pra juntar a turma para preparar um concurso de pizza de frigideira. Confira a receita-base e deixe a criançada soltar a criatividade no recheio e decoração.

 

8 dicas para deixar a experiência culinária ainda mais gostosa:

 

1. Confira se tem todos os ingredientes para a receita antes de começar.  


2. Reforce hábitos de higiene: cozinheiros de mãos limpas, unhas cortadas e cabelo preso!  


3. Não deixe as crianças sozinhas na cozinha.


4. Relembre receitas da sua própria infância e da família.


5. Converse sobre o valor nutricional dos alimentos e a importância de não desperdiçar.


6. Deixe a criança experimentar os ingredientes.


7. Não espere perfeição. Inclusive, divirta-se com os erros. Isso ajuda a desenvolver a resiliência na infância.


8. Entenda que a sujeira faz parte, mas, depois, envolva as crianças na limpeza e arrumação como parte da brincadeira.


 

Barriga cheia, cozinha limpa e ainda tem energia sobrando por aí?
Confira 
7 brincadeiras para pais e filhos

 

Fontes: Dentro da História | A Gazeta


Agência Babushka | Edição e Revisão: Unimed do Brasil

Revisão técnica: equipe médica da Unimed do Brasil


Média (115 Votos)
Avaliar:

COMPARTILHAR:


 

Uma publicação compartilhada por Unimed (@unimedbr) em