Guia Médico

Encontre um médico e outros recursos da Unimed, sempre perto de você.

Dúvidas sobre qual plano adquirir? 

Conheça nossos planos e veja qual opção se adequa melhor ao seu perfil.
Imagem de capa do card

Hospital Unimed Vitória

Todas as etapas do seu tratamento em um único lugar. Acreditação com Excelência Nivel 3, da Organização Nacional de Acreditação (ONA).

Imagem de capa do card

Unidades Unimed Vitória

Nossas unidades próprias atuam de forma interligada em uma estrutura única e exclusiva, formando assim o CIAS - Complexo Integrado de Atenção à Saúde, com o objetivo de  ofertar aos nossos beneficiários uma rede de serviços completa.

Notícias

Esteja por dentro dos últimos acontecimentos de nossa cooperativa.
https://www.unimed.coop.br/site/o/sites-theme/images/cards-noticias/noticias-padrao.png

Saiba mais sobre o lúpus, uma doença autoimune que atinge diferentes órgãos do corpo

Apesar de não ter cura, o tratamento alivia os sintomas e melhora a qualidade de vida
Texto: Unimed Vitória
        10 de maio, 2022

Lúpus é uma doença inflamatória crônica de origem autoimune, ou seja, o próprio organismo do paciente começa a produzir anticorpos e células que atacam o corpo. Para conscientizar a população, o Dia Mundial do Lúpus, celebrado em 10 de maio, relembra a importância de conhecer melhor os sintomas e tratamentos disponíveis para essa doença. 

De acordo com estimativas da Sociedade Brasileira de Reumatologia, o Brasil tem cerca de 65 mil pessoas com lúpus. A proporção é de que atualmente os sintomas atingem uma em cada 1.700 mulheres no país. O reumatologista da Unimed Vitória Luiz Fellipe Genelhu explica que os sintomas podem variar de acordo com a fase e gravidade da doença: os principais são as dores e inchaço nas articulações, manchas vermelhas na pele, inflamação das membranas dos pulmões e coração, inflamação dos rins, febre, cansaço e fadiga. 

A origem da doença não é totalmente conhecida, mas pode ser desencadeada por fatores genéticos, ambientais e hormonais. Existem quatros tipos diferentes de lúpus: eritematoso sistêmico, caracterizado por inflamações e manchas na pele exposta ao sol; discoide ou cutâneo, que atinge apenas a pele e não envolve outros órgãos; lúpus induzido por medicamentos como hidralazina, procainamida ou isoniazida, que provocam uma inflamação temporária e, após terminar o uso do medicamento, normalmente os sintomas desaparecem; neonatal, que pode acometer bebês que nascem de mulheres com lúpus. 

O especialista explica que o diagnóstico é baseado na história e sintomas do paciente. Alguns exames laboratoriais, como o fator antinúcleo (FAN) ou anticorpos antinúcleo (ANA), que rastreiam a presença de autoanticorpos em casos de suspeita de doenças autoimunes, auxiliam no diagnóstico, mas não existe um exame 100% específico para o lúpus. O tratamento é feito com anti-inflamatórios, corticoides e imunossupressores. É importante lembrar que não é uma condição contagiosa. 

Segundo o reumatologista, não é possível prevenir o lúpus devido à impossibilidade de interferir na suscetibilidade genética do indivíduo. Apesar de não ter cura, os tratamentos ajudam a aliviar os sintomas e melhoraram a qualidade de vida. “As mulheres são mais afetadas que os homens, além disso a doença é mais comum em mestiços e afroascendentes.”

Conheça alguns de nossos serviços

Canais de Atendimento

Responsive Image