18 de junho: Unimed Cascavel comemora avanços no Dia do Orgulho Autista

        18 de junho, 2020


 

Em todo o mundo, 70 milhões de pessoas convivem com o diagnóstico de algum grau do Transtorno do Espectro Autista (TEA), conforme dados atualizados repassados pela Organização Mundial da Saúde (OMS). No Brasil são dois milhões de pessoas nesta condição, que não é caracterizada como doença, mas sim como características especiais de desenvolvimento.

Em 18 de junho comemora-se o Dia do Orgulho Autista, criado para esclarecer a sociedade sobre as características das pessoas com algum grau do TEA. A data reforça a importância do diagnóstico e de prestar esclarecimentos sobre essa condição ainda cercada de tabus, que só são desmistificados por meio da informação.

Projeto Abraçar

Em março de 2019 a Unimed Cascavel colocou em prática o projeto Abraçar, iniciativa cujo objetivo é atender com qualidade e resolutividade as crianças com autismo que sejam beneficiárias da cooperativa de saúde. “Iniciamos os atendimento de três crianças já diagnosticadas com TEA. Utilizamos a abordagem da Analise do Comportamento Aplicada para o tratamento”, explica Fernanda Guerra, coordenadora do projeto da Unimed Cascavel. 

A Análise do Comportamento Aplicada é a tradução em português para Applied Behavior Analysis (ABA), que trabalha no reforço dos comportamentos positivos da criança autista. A técnica também é comumente definida como a “aprendizagem sem erro”.

Em julho de 2019 o projeto Abraçar foi ampliado, com base na intervenção ABA. Aumentou-se a intensidade dos atendimentos, ampliou-se a estruturação física, bem como da equipe treinada, que passou a contar com uma analista de comportamento  e quatro terapeutas. “Neste período atendemos 14 crianças, cada uma com intensidade de dez horas semanais, sempre utilizando ABA. Com isso, obtivemos resultados satisfatórios, tanto que a primeira alta do projeto ocorreu em março de 2020, sendo essa criança direcionada para terapia convencional, necessária para o caso dela. Depois disso já realizamos mais três encaminhamentos com as crianças apresentando habilidades necessárias para serem capazes de acompanhar as terapias convencionais, como a fonoterapia, terapia ocupacional e psicoterapia”, comemora a coordenadora. 

Atualmente, a Unimed Cascavel acompanha 18 crianças participantes do Abraçar, que conta com uma equipe em crescimento para auxiliar os pais e conduzirem os pequenos ao convívio social e aprendizado de novas habilidades. “Diante deste quadro, obtemos a certeza de que a intensidade dos atendimentos, juntamente com a persistência dos pais, dos profissionais e também das crianças, fazem a diferença para obtermos evoluções e superarmos desafios, cada uma em seu tempo de evolução”, finaliza Patricia Garbin, analista de comportamento.

A Unimed Cascavel acredita que, para promover a inclusão das pessoas com autismo na sociedade é necessário haver um trabalho coletivo para a promoção de adaptações físicas, comportamentais e legais, indispensáveis para garantir a qualidade de vida e a cidadania.

Cuidar de você. Esse é o plano.


Assuntos em destaque: